Projeto que busca dar amparo às vítimas de crimes e seus familiares ganha apoio da comunidade de Joinville.
15593
post-template-default,single,single-post,postid-15593,single-format-standard,bridge-core-1.0.6,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-theme-ver-18.2,qode-theme-bridge,disabled_footer_bottom,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.5,vc_responsive

Projeto que busca dar amparo às vítimas de crimes e seus familiares ganha apoio da comunidade de Joinville.

A Câmara de Vereadores de Joinville também aderiu ao projeto Justiça Direito de Todos, na noite desta quarta-feira, 25 de junho. Agora, a Casa do Povo da maior cidade do Estado, também contará com as listas de apoiamento.

Após a apresentação da autora do projeto, juíza da 1ª Vara Criminal de Itajaí, Sônia Moroso Terres, o presidente da Câmara, João Carlos Gonçalves, assumiu o compromisso de conseguir grande número de assinaturas e assinou o PACTO de PAZ pela Vítima. Os 19 gabinetes receberão 20 folhas da lista, para 30 assinaturas cada uma. “Cada local novo que chegamos para apresentar o projeto, uma surpresa diferente. Joinville foi emocionante pelo comprometimento de cada vereador, no apoio da imprensa e no acolhimento de cada funcionário daquela Casa da Lei. Além disso, os familiares de vítimas que ali estavam e o público presente, abraçaram a causa que já é de Santa Catarina”, lembrou a magistrada.

O encontro na Câmara contou com a presença de moradores e familiares das jovens assassinadas no município: Vitória Schier e Mara T. Decker. Durante a sessão, a senhora Alcenira, tia de um jovem de 26 anos, vítima de homicídio na cidade, falou da dor e da falta de apoio aos familiares. O sobrinho dela deixou um filho de 6 meses e esposa. Os pais das jovens Vitória e Mara, também vão apoiar o projeto. “ Agora sim um projeto voltado aos verdadeiros seres humanos, nós”, desabafou Christiane Schier, mãe de Vitória.

O projeto:

É urgente que o Congresso Nacional regulamente o art. 245 da Constituição Federal, pois o aperfeiçoamento da legislação pátria é fundamental para a implantação da verdadeira justiça social e este projeto de lei de iniciativa popular promoverá a consciência cidadã de nosso povo, dando voz às vítimas que estão invisíveis para o Estado.